Arquivo do mês: abril 2014

Inspira

Parece que tu nasceu
da tua paleta de cores quentes
com esses cabelos vermelhos
pele marrom
e alma estampada
com todas as coisas bonitas em que eu acredito.

Quisera tu me confundir com respiração
preu dar um passeio na tua essência
andar por esses corredores
com cheiro de rosas perfumadas,
flores nascendo na calçada,
por todo lado, paredes riscadas
e janelas enfeitadas.

Eu juro que iria em silêncio,
sutil feito fumaça de incenso.
Deixaria os sapatos na entrada
como quem entra em local sagrado.

Tiraria a poeira das tuas cortinas,
regaria tuas plantas,
passaria um café forte
e te esperaria no sofá da sala
com aquele blues baixinho
nas mãos, muito carinho
e algum poema novo da Elisa.

Expira.

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Confidência

Me confundo
com a compostura
de gente composta
que se comporta
de um jeito a cada porta.

Que não se corta
ao cortar minha cala.
Que cala toda vez
que come (meu) coração.

Ah, cara!
Quisera eu que tu conseguisse cuspir.

Deixe um comentário

3 de abril de 2014 · 02:49