Pra guardar no bolso

Procuro um poema
que descreva a beleza
do preto&branco
girando
no apartamento
ao som de um violão baixinho
falando de amor
e chás.

Procuro um poema
qualquer,
que descreva o ar
amarelo,
e o barulho do silêncio
entre vários espaços vazios.

Procuro um poema que
agradeça a nós mesmos
pela incrível genialidade
de poder
criar espaços.

(Há de se concordar
que Deus foi muito genial
na criação de nossos cérebros).

Procuro um poema
que explique
os tantos focos
que eu posso ter
e os tantos mundos
que eu posso ver
num girar de cabeça,
que chego a ficar tonta
e quase caio no chão,

(e se caio,
fico ali mesmo
pra contemplar o céu).

Quando encontrá-lo,
farei ele de Lua,
farei dele
meu satélite
minha saia rodada.

Ou diluo em água
pra poder beber,
beber,
beber,
até não poder beber mais.

Pra beber mais um pouco
e vomitar tudo em flor.

10653743_703371313046131_8064787030240511018_n

(pintura de Alex Egea)

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma resposta para “Pra guardar no bolso

  1. Muito lindo! Quando achar, me deixe lê-lo antes de diluí-lo… rs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s